É um disparate mexer comigo assim, fazer com que eu me mexa só pra sentir esse seu cheiro e te olhar com olhos de devoção. E pra receber aquele beijo de final de novela mexicana. Beijos daqueles doloridos de tão intensos. E pra ter você aqui entre os meus braços e minhas pernas, em meus pensamentos e em minhas certezas.

Absoluto. Absurdo. Insano. E eu não consigo desejar outra coisa que não seja continuar a te querer, meu bem querer. Desse meu jeito assim quase infantil, de criança com doce na boca e o coração na mão - porque não cabe no peito - e com uma coleção de sorrisos e sonhos quase realizados.

E essas gotas de palavras cheias de sentimento são que conjugam esse verbo no presente quase perfeito. Juntam as letrinhas nas entrelinhas, uma a uma r continuam a escrever essa história, que de clichê nada tem. E agora toda vez que eu vir o sol, vou me lembrar de você também.




.




"O destino estava prestes a se manifestar. Senti como se ele estivesse olhando direto para mim e para mais ninguém".

Bob Dylan




Bom fim de semana pessoas :)




Paz e Bem!

2 comentários:

Moça do Fio disse... Responder

Toda vez que leio você, sinto vontade de sair gritando pelas ruas
[pensariam que sou louca, não é?]

Gostei da profusão de sensações.

Beijos.

Solange Maia disse... Responder

Que cheirinho bom de amor...

Beijo carinhoso,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

Deixe um comentário

Bem-Me-Quer, Mal-Me-Quer

^
Segredos de Travesseiro © 2012 | Layout por Kakau com Limão | Ilustração por Desi.