Conjunto de sons articulados


De tudo surpreendo-me mais com o desprender das minhas emoções. Essas que parecem dançar com o vento, em uma urgência em voar e passar a existir em uma outra estação, dessa vez a minha. Em uma pressa por possuir longa vida, mesmo que em um corpo curto, tépido, torpe e anestesiado por um amor remendado.

De você eu estava vestida, coberta pelos seus abraços e entrelaços. Aderência na pele, na minha alma. Decidi então me despir. Em uma ânsia por derramar logo as lágrimas para curar. Mandei-te embora pelos olhos, em gotas quentes que pesaram até virar palavra.

Eu quero acertar o passo, o tom, o ritmo e o compasso. Quero experimentar um amor desses que não doem, desses que vem sem vertentes e soluços implícitos. Quero andar na corda bamba, correr sobre os fios e ainda assim me equilibrar. Eu quero me deixar em paz. Quero encher os bolsos de poesias e cantarolar uma veneração que seja lícita. E na eletrola, o uníssono da minha alma rediz o que já sabia desde o último verão. Repita mais uma vez, por favor, que é só por garantia.




***


Ganhei mais alguns presentinhos da Desi. Vale a pena dar uma conferida no blog dela. É uma graça. Obrigada mais uma vez! Adorei!






***


Hoje completam-se 7 anos desde que ela nos deixou. E novamente eu me pergunto: onde eu estava esse tempo todo?
E é só pra constar! A saudade é boa :)


Paz e bem!

16 comentários:

Priscila Rôde disse... Responder

Parabéns pelos selos! =)

Pequena :) disse... Responder

'Quero experimentar um amor desses que não doem'

Não doem e valem a pena? Só se for assim para eu querer. Eu disse esses dias pra uma grande amiga: Amar as vezes, dói. Ela respondeu: Dói sempre.


:/

Vanessa disse... Responder

"Repita por favor mais uma vez que é só por garantia"
adorei!

:)

'Ariane .( lla Belle )' disse... Responder

Parabens pelos selos \o/


*-*

Erica Ferro disse... Responder

"Eu quero acertar o passo, o tom, o ritmo e o compasso. Quero experimentar um amor desses que não doem, desses que vem sem vertentes e soluços implícitos. Quero andar na corda bamba, correr sobre os fios e ainda assim me equilibrar."

Eu também quero isso. :D

(...)

Parabéns pelos selos.

(...)

Se a saudade é boa, é bom lembrar e relembrar, se emocionar. ^^

Jenny disse... Responder

lindo como sempre, mas será que existe amoe que não doi rsrs bjss

Silvana Alves disse... Responder

seu blog me alimenta!

Desi disse... Responder

assim, quem vai se tornar repetitiva serei yo :) Mas eu adoro o que tu escreve. Tanto sentimento, as palavras parecem vivas!

um beijo e boa semana! ;***

Moça do Fio disse... Responder

Um amor que não dói? Hm... difícil, não?

Acho que é a dor que torna o amor tão intenso.

Como você consegue ser tão poética?

Beijos.

Michele Hubner disse... Responder

um amor que não dói, vc é que inventa, se não quiser doer, não vai. tenta.

Pedro disse... Responder

Tá foda ein?!

uauhahauhauha

Flor disse... Responder

Ai que vontade de imprimir teu texto em mim, libertar minha alma pra tocar cada canto do mundo .
ADOREI !!!!

Beijos e boa semana

Flavih Jones disse... Responder

'Quero experimentar um amor desses que não doem'

Perfeito como sempre.
Beijo

Paula disse... Responder

oh querida, sabe que todas as vezes que leio seus textos sobre saudade eu chego em casa e a primeira coisa que faço é beijar a todos os que amo.
meu pai passou por poucas e boas no ano de 2008 ... como queria que os pais fossem eternos...
agradeço imensamente seus comentários no meu blog, vc é tão querida e tão especial que eu devo dizer que seus comentários me alegram mto!

e eu adoro vir aqui! simplesmente adoro!

Dimes disse... Responder

PARABÉNS pelo post, simples e profundo! É sempre bom comungar um pouco das suas palavras!

Atualizei meu blog, depois comenta!

Grande abraço!

Ben Oliveira disse... Responder

Parabéns pelos seus selos, os seus textos são super bem escritos! Você realmente merece.

Deixe um comentário

Bem-Me-Quer, Mal-Me-Quer

^
Segredos de Travesseiro © 2012 | Layout por Kakau com Limão | Ilustração por Desi.