Entregue



Por vezes eu me perco, me encontro, me escondo.  Não sou.  E volto a ser. E tento me lembrar de como era bom caber no seu mundo. Naquela cadeira de balanço , sob uma entre – noite, marcada por pontos de luz; eu conclui que eu gosto mesmo de você. Eu gosto - de vez em quando - lá para umas cinco da tarde, quando o dia beira ao suplício e eu percebo, que o único caminho que eu gostaria de fazer de volta para casa, tem por destino o seu abraço. Sim, esse lugar comum, onde os colos se colam e as lembranças vêm a tona para buscar o ar, entre uma batida e outra de corações acelerados. Será que se eu te abraçar bem forte, as lembranças - que eu há tanto carrego no peito - se dividem entre os dois corações?

Há quem diga que sentimentos devam ser dados em conta-gotas, mas eu pensava no amor - quando era em você - como algo para ser oferecido de uma só vez, embrulhado com papel brilhante e laço de fita vermelho e entregue em uma bandeja.  É que eu tenho mesmo essa mania de ser completa, de ser inteira, de ser plena e de deixar tudo sempre à mostra. Registro as evidências, escrevo o óbvio, deixo tudo explicadinho que é para não complicar. “Eu gosto de você” vou deixar no seu espelho e em um bilhetinho no seu travesseiro, pois o meu já sabe de cor esse segredo. Quem disse que pra se conseguir certeza a gente tem que duvidar? Esteja certo do amor que eu tive (e tenho) pra você. Embora, às vezes, ele me escorra pelos olhos, me salgue o rosto e deixe na boca o dissabor do que já não somos mais.

 











"Essa saudade branca, que faz a gente perceber que certas pessoas simplesmente valem o esforço de lembrar."








Paz e bem! 

15 comentários:

C. disse... Responder

Às vezes elegemos alguém como o nosso foco de atenção, e com isso supervalorizamos dando uma dimensão para a dor ou para a alegria, muito além do que a situação ou pessoa merece, principalmente quando nos faz sofrer, porque o outro não retribui nos aspectos que gostaríamos.

É feito a vida. Sempre tem, entre as muitas estrelas, uma que se mostra para a gente, uma que quer ser vista e sentida, uma que para ela, nós somos a lua. Mas nós não vemos, porque focamos a atenção e o sentir na lua...

Um dia aprendemos a olhar a lua...

C. disse... Responder

Maravilhoso o texto Gabi, me fez voltar há uns 20 anos atrás, quando eu senti bem o que vc tá sentindo.

Carlinha disse... Responder

e/eu/fico/pensando/se
um/dia/escrever
metade/do/que
vc/escreve/já
estou/feliz...é/bom/
saber/que/ainda/tem/
gente/que/vive/e/tem
o/amor/como/algo/importante!

beijos

Friends:Renata e Juliana disse... Responder

Renata disse:
O amor nos faz escrever coisas incríveis,e vc faz isso encantadoramente.
Às vezes eu ficava tão vazia de mim só,para me 'encher' dele...
eu já me senti assim!

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse... Responder

Dizer que ama é importante, afinal nunca se sabe se as demostrações silenciosas e os atos são suficientes. E ainda que sejam, há por aí gente um tanto lerda, que só acredita vendo (ou ouvindo).

Ótimo o texto!

Lua disse... Responder

Um encanto seu blog!

bom fim d semana ;)
bjos!

Luciana Lís disse... Responder

Pra começo de história: aqui é muito bonito.
Esse teu post é simplesmente visceral, mas vestido de algo singelo - amor sempre marca a gente, não há como não ser algo forte.

me fez lembrar de uma postagem q vi num blog, ontem: 'paixão é passarinho. amor é ninho' - infelizmente não lembro o link.

gostei muito!
Beijão

Priscila Rôde disse... Responder

Sempre lhe encontro INTEIRA em cada texto que leio e releio...

Nem sei mais comentar, Gabi!

Thaisa Schelles disse... Responder

Lindo, lindo e lindo só tenho isso a dizer, parece comigo, muito comigooo!

"o único caminho que eu gostaria de fazer de volta pra casa, tem por destino o seu abraço"
xD

Você tem o dom Gabrielaaa

Roberta disse... Responder

'Essa saudade branca, que faz a gente perceber que certas pessoas simplesmente valem o esforço de lembrar..'

muito, muito lindo isso!

@philipsouza disse... Responder

As vezes a perda é necessaria para o crescimento mental e espiritual da pessoa. Nós seres humanos devemos mudar sempre para atingir nossos objetivos reais.

Mas nao esquecendo de sempre viver avida como o dia fosse ultimo..

bjao, bom demais ta aqui de novo.

cecilia disse... Responder

O amor traz saudades mesmo!
e alguns realmente não vale o esforço se ser lembrado.
Belo texto!
bjo

Erica Ferro disse... Responder

Que lindo, Gabi!

Eu bem queria que alguém dissesse de forma simples que gosta de mim como você escreveu nessa postagem. De forma simples, poética e apaixonante.
Adorei!

Beijo.

Srta Laís disse... Responder

ser inteira, dói.

Sentindo e pensando disse... Responder

Esse negócio de sentir às gotas, aos poucos, não é muito a minha, não. Certas vezes me sinto mais intensa do que gopstaria mas não sei ser de outro jeito...
Lindo seu texto, você escreve muito bem!

Deixe um comentário

Bem-Me-Quer, Mal-Me-Quer

^
Segredos de Travesseiro © 2012 | Layout por Kakau com Limão | Ilustração por Desi.