Mentiras sinceras NÃO me interessam


Vazou-me o sangue, a lágrima, a calma, Vazou-me um pedacinho, ainda que imperceptível, da alma. Vazou-me a necessidade de ter a sua aprovação, de ouvir a sua voz na madrugada, de segurar na sua mão. Vazou-me o vazio que me preenchia por dentro: pelos olhos, pela boca escorrendo-me por toda a minha cara lavada. E lava. Eu desagüei toda dor, que não me era honesta. Deixei escapar pelos dedos toda mentira que nunca me coube, mas que me enfiaram goela abaixo. Eu despejei essa ausência de boa-fé tão desencaixada, imprópria e dolorida, no esgoto da sua maldade, em nome da minha tão protegida verdade.

Eu sou assim: defendo o que acredito com unhas, dentes e coração. Transbordei-me em palavras. E agora me cabe tanta necessidade de mim. Eu me preciso tanto. Preciso me preencher com mais levezas, delicadezas, amores, clarezas, positividades e, sempre, com verdades grandes, bem encaixadas, com letras em neon piscando no alto do telhado, se preciso for. Minha paz é coisa tão batalhada, tão cheia de suor, de pernas doendo, de punhos cerrados pela batalha diária. Não venha tentar me tirar o sorriso do rosto nem tentar me tirar a pureza do coração que, apesar de joão-bobo, desacredita que alguém, nesse mundo torto, possa feri-lo por pura malícia.

Entenda: é assim que as coisas funcionam por aqui. Se quiser entrar, tire a poeira dos sapatos e do coração. Livre-se de tudo não seja real, que não seja sincero, que não seja fiel, ainda que por mero engano. Alforrie-se de tudo o que trava a língua, que prende o riso, de tudo o que não o faz feliz, de tudo o que torna o travesseiro duro demais para deixá-lo dormir. Deixe escapar um sorriso e solte a alma para que ela suspenda e suba até que encoste em Deus. Exista iniludivelmente e completamente. Uma meia verdade é uma mentira inteira. Mentiras sinceras não existem e não me interessam. Pessoas e possibilidades reais e sinceras, essas sim, muito me interessam. 

















Compartilhando...

No último fim de semana estive em Porto Alegre/RS e tive o prazer de conhecer a blogueira querida e super colaboradora aqui da minha página, a Desi do Sintonias. (Não colocarei o link, pois o site dela está em manutenção)

Foi um feliz encontro. Adorei :D

Desi e eu no Boteco Tchê em Porto Alegre/RS.



Paz e Bem!

3 comentários:

Rafaelle Melo. disse... Responder

Texto sincero! Isso é que me interessa!

Beijo meu!

Thaisa Schelles disse... Responder

Adorei demais...parece muito com o momento em que estou passando. Sabe nada que não seja real não me interessa mais, a gente cansa de se contentar com qualquer meia verdade mesmo!

Parabéns, admiro muito seu blog. Beijos...

Desi disse... Responder

Agradeço mil vezes ao blog e a nossa querida Moça do Fio por ter nos aproximado "sem querer". E mais ainda por esse momento que espero ser de muitos outros!!
Conta comigo Gabi :)

Na próxima vou te vestir de prenda :P

Beijos no coração!

Deixe um comentário

Bem-Me-Quer, Mal-Me-Quer

^
Segredos de Travesseiro © 2012 | Layout por Kakau com Limão | Ilustração por Desi.