Dedo de prosa



Eu preciso é de um dedo de prosa e uma mão de poesia. Nos dedos outros, quero segurar um bocado de certeza e semeá-la no terreno fértil de sonhos azuis. Eu quero terra firme e o mundo sob os pés, pois eu não sei ser sem rumo, eu gosto é de direção. Eu quero, dia após dia, costurar a vida e vê-la se transformar em um futuro bom, todo bordado em coragem. Eu quero ver florescer os bons sentimentos e colhê-los e plantá-los de novo, para mostrar a mim mesma, que a bondade é um ciclo e é um círculo vicioso, graças a Deus. E porque eu acho lindo demais o gostar, quando é quase infantil, pois tudo o que é acriançado é simples, puro e verdadeiro, como tudo deveria ser. Eu quero pessoas, que são gente de verdade, que é feliz, que fica triste, que desanima às vezes, mas não desiste, porque sabe que a força de dentro é maior que todos os medos e que a fé é a coisa mais preciosa que se pode ter. Eu preciso é de um dedo de prosa e uma mão de poesia, para contar quanto sóis já nasceram e se puseram, até que eu descobrisse que a vida continua e que a gente sobrevive e vive do jeito que Deus quer, até quando Deus quiser. 


4 comentários:

Rafaelle Melo. disse... Responder

Um dedo de prosa e uma mão de poesia desses só podia ser escrito por alguém de alma assim: muito humana, não menos divina.

Algo de bom brilhou dentro de mim te lendo!
Beijo, moça!

Gabriela Castro disse... Responder

Rafaelle Melo. E você sempre me causando sorrisos :) Beijos

Susi disse... Responder

Amei o texto. Parece que vc leu minha alma. bj

Fabio Verreschi disse... Responder

Lindo e puro!...

Deixe um comentário

Bem-Me-Quer, Mal-Me-Quer

^
Segredos de Travesseiro © 2012 | Layout por Kakau com Limão | Ilustração por Desi.