Eu acredito no amor


Se no amor reincidente tropeço, caio na tentação do seu sorriso. Sucumbo ao peso desse afeto e, em você me alcanço e me ponho em pé. Isso porque eu acredito no amor, não como uma solução para quem está desacompanhado de si, nem para compensar qualquer irrealização ou preencher lacunas emocionais. Eu acredito no amor como merecimento para quem consegue lidar consigo e, se amar tanto, ao ponto de aceitar os próprios defeitos. Eu acredito no amor como mérito para todos aqueles que conseguem superar as diferenças, o tempo, o vento, a vida, os outros e o resto. E eu tenho por mim, que esse sentimento é um tipo de garantia de que se está vivo. Que estejamos vivos, todos os dias e daqui para sempre, então. 


3 comentários:

Priscila Rôde disse... Responder

Você arrasa, Gabi!

Luzia Trindade disse... Responder

Lindo texto.
É assim que também 'enxergo' o amor.

Bjos

Sol disse... Responder

Gostei da sua forma de ver o amor, apesar de eu não acreditar mais nele quando se refere ao Eros.

Beijos, Gabriela!

Deixe um comentário

Bem-Me-Quer, Mal-Me-Quer

^
Segredos de Travesseiro © 2012 | Layout por Kakau com Limão | Ilustração por Desi.