Descomplicando



Queria eu, por um momento, ser um tudo de branco, de claro, de cândido. Fazer de mim, enquanto tempo, um nada: sem apreensões, sem medo, sem alarde por pouca coisa. E, na profundidade, ter mais de afinidade que de apego, me vestir com o vestido do apreço e sair por aí, toda em mim: em prosa, em verso, no avesso e em reverso. Queria eu, por um instante, ser tão completa, compensada e crédula, ao ponto de ser mais dentro que fora, e mais ingênua e simples e ininterrupta.  E, na diferença, ser normal na estranheza e viver apenas, sem maiores complicações. No todo, de tudo um pouco e do pouco eu, toda. Assim, somando amenidades, encarando apreensões, derrubando preceitos e compartilhando de sonhos bons. Queria eu, por um minuto, estar munida de uma interminável paz, de uma fé sem tamanho e enfim ser feliz para sempre, seja lá por quanto tempo isso dure.


11 comentários:

Tracy Ellen Caetano disse... Responder

também desejo isso as vezes, daí penso que mesmo tendo dores imensas, tenho histórias que me tornam eu , bjs

Raíssa França disse... Responder

Queria eu ser tudo que você falou.

Seu texto é belo, meus parabéns! :*

Dani Aguiar disse... Responder

Eu também queria me descomplicar!!!
É incrível como sentimentos que parecem ser apenas seus, também fazem parte da vida de tantas outras pessoas.

TextoLindo *-*

amoremletras disse... Responder

Gabi, adorei o post. VocÊ escreve com a alma. parabéns!

Dulce Morais disse... Responder

A alma humana é assim feita que complica, a menos que exista aceitação do que ela é.
Excelente escrita!

Karine Tavares disse... Responder

Perfeito, Gabi! Parabéns!

Poeta da Colina disse... Responder

Viajamos tantos quereres de mudança nesse mundo que é difícil diferenciar o que o mundo quer e o que a alma realmente precisa.

Camila Gomes disse... Responder

Ei Gabriela Castro,

Estou aqui para pedir seu apoio.
25 de novembro. Poucos têm conhecimento da importância dessa data.
Por favor, tire cinco minutos apenas e abrace essa causa! Visite meu espaço e deixe sua solidariedade.
Por uma vida sem violência! Temos nossas palavras, vamos usá-las juntos!

http://camillacris.blogspot.com.br/2012/11/a-mulher-que-colecionava-naos.html

Obrigada!
Camila Gomes

Yohana Sanfer disse... Responder

Um querer sincero, intimista... gostei, Gabriela!
Um beijo!

Dany Loureiro disse... Responder

Queremos a mesma coisa hein? rs

Aah Gabi, obrigada por ter aceitado fazer a entrevista com a gente!!!!! :)

Beijos Mil,
Dany.

Fernanda Fraga disse... Responder

É desses nuances que a gente precisa descomplicar.

Beijo

Deixe um comentário

Bem-Me-Quer, Mal-Me-Quer

^
Segredos de Travesseiro © 2012 | Layout por Kakau com Limão | Ilustração por Desi.